terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Capítulo 19



Eu dormia tranquilamente em baixo da minha coberta pensando no meu Justin, feliz da vida por finalmente a sorte estar olhando pra mim quando eu sinto um baque forte na minha cabeça me fazendo se assustar e cair de bunda no chão.
Justin : Acorda vagabundo! - gritava Justin rindo de mim com o travesseiro na mão.
Eu : Você tem mesmo que fazer isso cara. - disse me levantando e esfregando minha bunda que doía, pigarreando eu passei a mão na minha cabeça e vi que estava tudo ok.
Justin : Claro ninguém merece dormir com você falando coisas sem noção , alem do mais vê se para de roncar. -  ele disse serio mais podia se ver que ele tava brincando.
Eu : Eu não ronco! - me defendi corando será que eu roncava?
Justin : Bom então eu vou gravar você roncando ai eu quero ver você dizer que não ronca. -  ele disse tirando a blusa branca dele e mostrando suas duas tatuagens, serio ele tinha mesmo que fazer isso?
Balançando minha cabeça eu olhei pro outro lado e disse com a voz fraca.
Eu : Por que me acordou?
Justin : Por que hoje é domingo e é dia de dar um rolé - ele disse. - Além do mais a noite a galera do segundo e do terceiro vai num luau artificial. -  terminou de explicar.
Confusa eu me virei pra encara Justin mais eu me arrependi ele tava só de cueca boxer preta passando um creme no abdômen, a cena que eu via tava em câmera lenta do abdômen ele começou a passar nos braços o resto de creme em sua mão ele desceu pela sua barriga indo ate o cós de sua cueca, crêem Deus pai me ajuda nessa hora de sufoco, pedi mentalmente engolindo em seco.
Dando um belisco em mim mesma eu me virei rapidamente antes que eu pulasse em cima dele, limpei minha garganta respirando fundo eu tava com calor muito muito calor.
Eu : Luau artificial? -  perguntei num fio de voz.
Justin :  é uma festa que rola de mês em mês da escola , isso tem desde a época que minha mãe estudava aqui, isso só acontece só com os alunos dosegundo e terceiro ano . - ele explicou pelo barulho ele parecia vestir a calça menos mal pra minha pobre insanidade.
Eu : E o que rola nesse luau artificial? - perguntei arrumando minha cama ainda de costa pra ele.
Justin : Bebida, musica no violão, conversa, uns pega ... essas coisas. - ele disse, pêra ai .. uns pega?
Me virando pra ele Justin estava sentado na cadeira colocando seu supra azul escuro de calça e sem camisa, eu cruzei os braços e o encarei.
Eu : Uns pega? - repeti suas palavras, ok eu podia ta parecendo um gay mais e daí ele era meu quer dizer da Luana mais eu era Luana ... então ele é meu!
Justin : é uns pega, mais é uma pena que a Lara não pode ir eu a convidei mais ela ta cheia de trabalho pra fazer, então eu só vou ficar na musica e na bebida. -  ele disse terminando de colocar os supras e se levantando ele me olhou. - Você ta parecendo um gay desse jeito. - disse apontando pra mim.
Me endireitando eu sorri satisfeita com as palavras dele e me virei antes que babasse pelo seu corpo.
Justin : é melhor você ir se arrumar. - Justin disse passando seu perfume tentador.
Eu: Pra que se o luau é só a noite? - perguntei indo ate meu guarda roupa escolher minha roupa.
Justin : Bom como eu disse Lucas, eu , você e minha galera vamos dar um role sabe eu vou te ensinar a virar homem, eu vou te apresentar umas garotas. - ele disse colocando uma blusa roxa de gola V e uma jaqueta preta, preciso dizer que ele tava lindo? Não né sem falar na bagunçada que ele deu me fazendo quase babar, reprimindo meus pensamentos eu o encarei.
Eu : Não preciso conhecer nenhuma garota, eu to feliz assim. - expliquei pegando minha toalha e seguindo pro banheiro decidida.
Justin : Sei .... eu to esperando no estacionamento com os meninos, se você não for ta fudido. - ele me ameaçou saindo, encarando a porta confusa eu me recuperei e entrei no banheiro pensativa.
Por que ele tava assim comigo quer dizer com o Lucas ? , Justin estava legal .. quer dizer meio distorcido mais bem melhor do que antes ele até me levaria pra um ''rolé'' com os melhores amigos, mais pensando por outro lado eu poderia ficar de olho nele e nos seus amigos malucos quer saber eu iria dar um rolé com eles sim , pensei decidida terminando meu banho.
Eu me sequei e prendi meu cabelo já que não o lavei, e fiz todo meu processo, colocar a faixa a peruca e minha roupa . Indo ate o espelho eu passei o perfume que o Miles comprou masculino era bem cheiroso bem másculo por um momento me lembrei do cheiro do Justin era um cheiro tão marcante.
Terminando eu peguei o celular e sai pra fora indo pro estacionamento, hoje eu ia agir como um garoto, não sei se chorava ou se ria mais fazer o que né .
Ryan : Até que enfim tava passando chapinha é Lucas ?. - disse Ryan rindo e fazendo os outros rirem menos Justin.
Eu : Ao contrario de você eu tomo banho Ryan. -disse engrossando minha voz a ele.
Chaz : Toma Ryan fala o que quer e ouve o que não quer. - disse um branquinho chamado Chaz.
Justin : Ok, seus viados chega de viadagem vamos logo. - disse Justin.
No estacionamento estava eu, Justin, Ryan, Chaz e Christian.
Justin : Bom eu , Lucas e Ryan iremos no meu carro, Chaz e Christian vão no seu carro beleza pessoal ?. -Justin disse e todos concordaram.
Eu, Ryan e Justin entramos na sua range rouver preta, Christian e Chaz foram no Audi preto dele, esses meninos só tem carro bonito é? Se bem que no estacionamento só tinha carrão.
Eu : Pra onde vamos? - perguntei já dentro do carro com os meninos.
Ryan : Pro clube. - disse Ryan colocando seu óculos escuro ele tava no banco do passageiro, Justin ligava o carro pra sairmos dali.
Eu : Nós vamos nadar? - perguntei meio assustada afinal eu tava de peruca e com certeza a faixa não ia fazer muito efeito  , e os dois riram da minha pergunta.
Ryan : Não é um clube como você ta pensando, você vai ver quando estivermos lá. -Ryan explicou.
Me calando Justin começou a dirigir não antes de ligar o radio onde passava um rap, Justin e Ryan começaram a cantar, eu não sabia como cantar mais ria discretamente com os erros do Ryan e me encantava com a voz do Justin era rouca suave, elas saiam de sua boca como se fossem assopradas pelo vento leve, uma brisa encantadora.
Depois do rap começou uma outra musica da Jessie J 
.
Ryan : Então Lucas por que veio pro RoseWood ? - perguntou Ryan de repente.
Eu : Bom ... sempre foi meu sonho ir pro Rosewood . - disse a verdade.
Ryan : Seu sonho sempre foi ir pra um colégio onde você não pode fazer quase nada só estudar, e sem falar que você só pode sair nos finais de semana? -ele perguntou e eu afirmei. - Você é louco cara, se eu pudesse nunca pisaria meu pé no Rosewood. - Ryan disse.
Justin : Eu também se fosse por mim eu estudaria numa escola normal.- Justin disse parando em um sinal e mudando a estação do radio .
Eu : Então por que estudam lá? - perguntei confusa, o Rosewood era super legal.
Justin : Já ouviu falar em pais, obrigação , assumir os negócios da família que é passada de geração a geração? Enfim essas coisas. - Jusin disse meio triste.
Ryan : E o pior é que eu vou ter que fazer advocacia, pra honrar os Butler ninguém merece. -disse Ryan .
Justin : Voce Reclama nem sei por que ... advocacia é melhor do que administração, quando eu sair da faculdade vou direto pra empresa do meu pai cuidar de uma filial quem devia dizer ninguém merece aqui sou eu Ryan. - Justin disse apertando o volante virado uma esquina.
Eu tive pena dos dois eles iam fazer coisas que não gostavam pra agradar os pais, pelo rosto do Justin eu pude ver dor foi ai onde eu percebi que ele não era aquele garoto feliz e malvado que eu via no começo de tudo, se bem que a Jazzy disse “Não julgue ele por isso Luana ele passa por coisas bem chatas com meus pais”. Agora as palavras dela faziam sentido.
Ryan : E você Lucas vai fazer o que quando sair da escola? - Ryan perguntou.
Eu : Medicina. - respondi meio triste pelos dois , mas na verdade não sabia muito oque queria ser afinal esse é meu penúltimo ano .. ainda tenho um ano pra pensar nisso.
Justin: Seus pais te obrigaram? - Justin perguntou.
Eu : Não ...... é meu sonho mesmo. - disse olhando seu rosto pelo retrovisor do carro.
Justin ; Sorte sua que seus pais te deixam fazer o que quiser. - ele disse triste parando o carro numa rua deserta. - Chegamos. - terminou desligando o carro e tirando o cinto de segurança, Ryan fez o mesmo só me restou fazer a mesma coisa.
Já fora do carro eu encarei o grande prédio onde nos estávamos, era um prédio de no mínimo dez andares, feito de tijolinhos vermelho o lugar parecia meio abandonado sem falar na rua que era completamente deserta, por um momento eu tive medo será que eles iam me sacanear?
Eu : Que lugar é esse? - perguntei olhando os dois que tocavam o interfone.
Ryan : O paraíso cara. - respondeu Ryan. -O Chaz e o Christian já chegaram? - ele perguntou.
Justin ; Já ... eles foram a cem por hora -Justin destravando a porta de metal. - Vamos. - ele disse entrando.
Ryan foi logo atrás e em seguida eu, o lugar era iluminado por uma luz fraca eu percebi que era um corredor, eu não vou negar eu tava com medo dava pra ouvir uma musica abafada eu conhecia essa musica era do Linkin Park

 caminhando em silencio entramos em uma sala onde tinha varias pessoas, o lugar era grande a luz era roxa com vermelha, mais a frente tinha o bar, tinha pessoas dançando as mulheres eram bonitas mais pareciam umas vadias sem falar nos pedaços de pano delas, por um momento eu odiei esse lugar parecia um putero.
Eu não podia negar que o lugar era luxuoso, tinha uns sofás da cora branca e preta, parando de olhar o lugar eu vi Justin conversando com um cara ele olhou pra mim e me chamou.
Eu : O que? - disse já perto deles.
Justin : Lucas esse é Mark um amigo. - Disse Justin nos apresentando, Mark era um homem bonito moreno o olhos dele eram pretos ele tinha o estilo rockeiro e uma tatuagem bem grande no braço. - Mark esse é o Lucas é da minha escola.
Mark : Eae.  - ele disse apertando minha mão, achei que ele fosse quebrá-la.
Eu : Oi. - disse engrossando minha voz tentando parecer mais homem.
Mark : Então JB o que vai ser? - ele perguntou depois das apresentações. - Os garotos já foram se divertir, e você ? a Jane ta aqui hoje. - Mark disse com malicia na voz, é eu detestei quem é essa vaca?
Justin : Não é melhor não, é melhor deixar ela pro Lucas. - Justin disse rindo safado.
Eu e Mark : O que!? - Mark e eu perguntamos ao mesmo tempo, como assim deixar essa garota pra mim?
Mark : Por que? - perguntou Mark surpreso.
Justin : Eu to namorando. - ele respondeu dando de ombros, hum gostei assumindo pra todo mundo que estamos namorando, não pude deixar de sorrir com as palavras dele.
Mark : Você ? namorando? - Mark perguntou perplexo, eu já tava com raiva por que tanto espanto pelo fato dele ta namorando? - Só acredito vendo, Justin Bieber namorando isso e coisa de outro mundo. - ele disse, que exagero viu.
Justin : é serio o nome dela é Luana , eu só vim aqui hoje por que eu quero beber e esquecer que meus pais existem  ... só isso nada de sexo. - Justin disse serio.
Mark : Ok então seu lugar de sempre ta reservado vai lá e beba. - Mark disse convencido, depois olhou pra mim malicioso. - Então a Jane é sua hoje. - Quando eu ia protestar ele saiu mais que merda é essa?
Justin começou a andar pra um lugar e eu o segui entramos numa sala onde tava os meninos bebendo e jogando poker.
Justin : Maravilha viu começaram sem mim. - Justin disse se sentando na cadeira.
Chris : Relaxa agente acabou de começar. - disse Christian embaralhando as cartas. - Senta ai Lucas, sabe joga poker? - ele perguntou.
Eu : Sei. - respondi e sabia mesmo, as vezes juntava eu , Miles e Ju e jogávamos.
Justin : Beleza, então nos mostra o que sabe fazer. - ele disse distribuindo as cartas.
Na mesa estava eu, Justin, Ryan, Chaz e Christian, nós cinco.
Justin : Chaz me passa ai . - Justin disse só então eu percebi que o Chaz fumava num tubinho e soltava a fumaça branca no ar.
Chaz : Toma. - ele disse entregando pro Justin que o pegou colocando na boca e seguida soltando a fumaça .
Eu : Isso ai não faz muito bem não Justin. - disse preocupada com ele que fumava seguidamente.
 Justin : claro que faz isso aqui não é maconha, se bem que maconha faz bem. - ele disse rindo alias todos na mesa começaram a rir menos eu. - Vamos começar a jogada! - Justin disse auto e os meninos gritaram.
Eu tava preocupada com o Justin, e com os meninos eles fumavam e bebiam a cada jogada a única que não fazia isso era eu, o lugar já tava cheio de fumaça a musica tava mais alta eu nem vi quando duas meninas entraram e sentaram no colo do Chaz e do Ryan elas estava só com um mini vestido.
Uma hora depois!
Todos : Vai! Vai! Lucas você consegue! - gritava um monte de pessoas pra mim virar a garrafa de vodka na boca.
Eu : Terminei! - dei um grito jogando a garrafa no chão e rindo feito uma louca minha garganta doía minha cabeça girava, e todo mundo gritou Justin tava com um cigarro na mão chegando perto dele ele me entregou o cigarro é eu fumei, tossindo em seguida.
Justin: Calminha ai Brother isso e maconha você tem que sentir primeiro. - ele disse rindo da minha cara, Justin tava com o olho vermelho e os lábios azuis por causa de um comprimido que ele tomou que deixava a pessoa viajando.
 eu soltei e fumaça de vagar e comecei a rir e ele me seguiu, tava Rolando um rock pesado Ryan dançava em cima do balcão junto de Christian e mais três meninas. Chaz beijava uma garota num canto só pra não dizer comia.
Eu e Justin riamos sentados no sofá, nos dois bebíamos e fumávamos como se o mundo fosse acabar.
Justin : Sabe eu nem sei o que seria de mim sem você cara! - ele gritou me olhando e claro que ele disse isso por que tava chapado.
Eu: Hum é mesmo. - disse fazendo graça imitando o Calvim, nós dois começamos a rir.
Me levantando eu comecei a dançar eu nem ligava mais se eu tava de Lucas eu balançava na musica agora tocava uma musica do Marilyn Manson. Rindo eu cai feito uma jaca mole no sofá e comecei a rir seguido do Justin.
Parando de rir eu e ele nos olhamos em silencio.
Justin :Eu acho que to muito chapado cara mais você ta me lembrando a Luana. - ele disse bebendo numa garrafa.
Eu : Quem é Luana? - perguntei fazendo graça, olhando ele se levantar e esticar os braços pra mim.
Justin : Vem comigo. - ele disse me levantando eu me pus a segui-lo.
Passamos por umas pessoas dançando e entramos num corredor escuro, e paramos numa escada e Justin subiu sumindo eu o segui subindo degrau por degrau de vagar pra não cair, me deparei num terraço ficando em pé eu podia ver o sol se pondo e vários prédios, estávamos em cima do prédio no terraço, cara tava escurecendo já?
fechando meus olhos ao sentir a brisa gelada, eu comecei a recuperar os sentidos, dando uma olhada eu vi Justin sentado olhando pro horizonte onde o crepúsculo nascia, ele tava calado sem piscar por um momento pensei que ele estivesse chorando em silencio, dava pra perceber sua dor, é eu me senti mal por isso.
Eu : Lugar incrível. - disse me sentando ao seu lado um pouco distante.
Justin : é sim eu sempre venho aqui, o vento gelado me deixa acordado e pensativo. - ele disse me olhando avaliador, abaixando minha cabeça eu pus minha mão na cabeça e vi que tava tudo ok.
Eu : As luzes acesas são de impressionar qualquer um. - disse melancólica. - Sem falar no sol se pondo. - terminei, e ali se instalou um silencio.
Justin : Eu tenho um sonho. - ele disse de repente quebrando o silencio me fazendo olhá-lo sem entender.
Eu : Que sonho? - perguntei.
Justin : De ser cantor. - ele falou me olhando triste.
Eu : Então por que não o segue? - tornei a perguntar.
Justin : Se fosse tão fácil assim Lucas, meu pai é arquiteto e dono de uma empresa a multinacional arquitetura, como seu primogênito eu tenho o dever de cuidar de tudo assim como meu pai diz, “a empresa foi passada de pai pra filho, o pai do meu pai passou a ele e ele me passou quando você crescer eu terei o dever de passá-la a você Justin, então me orgulhe”. Essas são as palavras dele. - ele disse mordendo os lábios e passando a mão na boca , talvez para ''tentar'' tirar o gosto da bebida e do cigarro que ele botou na boca .


O encarando eu não sabia o que dizer, ele tava se abrindo comigo eu me sentia impossibilitada de fazer algo.
Eu : Eu não sei o que dizer. - disse triste por ele.
Justin : Não diga apenas ouça. - ele disse me olhando. - Minha mãe também sempre diz a mesma coisa, todos da minha casa espera isso de mim o primogênito quando eu vou pra casa é como viver numa sala de cobranças “Justin faça isso” faça aquilo, eu nunca ganhei um abraço do meu pai nem um ''muito bem filho''. - ele disse com lagrimas nos olhos. - Ele sempre viaja, minha mãe é a diretora sempre ocupada com os outros, no meu aniversario de dez anos ninguém lembrou a Jazzi tinha oito anos ela foi a única a lembrar, meu pai tava viajando minha mãe tava na escola.
Ele deu uma pausa e deitou fechando os olhos apesar de estar escuro eu podia ver sua face clara pelo frio, seus labios estavam apertados numa linha reta.
Justin : Quando ele chegou de viajem eu corri pra abraçá-lo mais ele se afastou e disse com a voz grossa e dura, “Um Bieber nunca demonstra seus sentimentos, então pare de agir como uma garota e aja como um homem, e quando eu chegar nunca venha me abraçar”. E saiu me deixando ali num vazio que sempre foi minha vida. - ele abriu os olhos que agora estavam escuros ele tava com raiva.
Eu : Eu sinto muito. - disse com sinceridade.
Justin : Isso tudo não foi o pior, o pior momento foi quando meu tio me deu um violão de presente eu fiquei tão feliz eu tinha quatorze anos, subi direto pro meu quarto e comecei a tocá-lo e cantar foi ali que vi que esse seria meu sonho compor e cantar, mais meu pai entrou bravo e com ódio do meu tio pelo presente tomou o violão de mim e o quebrou com raiva eu o desafiei e ele me bateu tanto que achei que fosse me matar, no dia seguinte ninguém ousou dizer nada nem minha mãe contra veio, minha família é hipócrita e egoísta e eu estava me tornando isso um covarde hipócrita sem escrúpulos.
Eu : Você não é isso Justin apenas misturou as coisas então não se rebaixe a isso você pode ser melhor. - falei o olhando.
Justin : Eu nem quero ver o que meu pai vai fazer quando ele descobrir que eu to apaixonado pela Lara - ele disse respirando fundo com pesar.
Eu : Por que? - perguntei nervosa e com medo da resposta.
Justin : Por que meu pai é sócio do pai da Sarah e pra eles nós dois devemos ficar juntos, principalmente nos casar. - ele disse me olhando com um pouco de medo no olhar. - Meu pai é capaz de fazer qualquer coisa pra eu ficar com a Sarah, por que pra ele ela será a mulher ideal pra mim, o futuro presidente da multinacional arquitetura Bieber`s.
Eu : Justin? - o chamei ele me olhou.


Eu : Você vai lutar pela Luana não vai? Caso seu pai faça alguma coisa diz pra mim que vai lutar. - pedi quase chorando ele não podia desistir de mim assim.
Justin : Mesmo achando que isso não seja da sua conta, a Luana é tudo pra mim agora e eu não vou desistir dela nem por um decreto nem pelo meu pai, nem em mil anos .... ela é minha e de mais ninguém , ela é minha vida agora .
...........continua.................

2 comentários: